quarta-feira, 25 de abril de 2012

Desmatamento Zero!

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Energia a preço justo, só com leilão



Nota Oficial
Para acessar a matéria original clique aqui

São Paulo - 15/03/2012

Energia a preço justo, só com leilão



Fim dos contratos de concessão, a partir de 2015, configura uma excelente oportunidade de redução dos preços da energia elétrica no Brasil



A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) vem acompanhando notícias veiculadas pela imprensa nos últimos dias, acerca do vencimento das concessões de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. A informação de que o governo federal pretende conceder um "desconto de dois dígitos” nas tarifas do setor coincide com a visão da entidade de que o fim dos contratos de concessão, a partir de 2015, configura uma excelente oportunidade de redução dos preços da energia elétrica no Brasil. Para conquistar essa bem-vinda redução tarifária, no entanto, as autoridades estariam tomando um caminho equivocado.



De acordo com as informações veiculadas, o governo federal estuda incluir a redução tarifária em uma nova prorrogação dos contratos. A Fiesp volta a alertar a sociedade que essa eventual decisão, além de desconsiderar a Constituição, não seria capaz de estabelecer o preço justo da energia no país. Como a entidade vem defendendo, os novos valores devem ser determinados com a realização de novas licitações pelo critério da menor tarifa, com transparência e acesso irrestrito a todos os eventuais interessados.



Outra notícia veiculada na imprensa informa que o governo federal também estaria planejando uma redução do ICMS cobrado nas contas de luz, com o mesmo propósito de reduzir as tarifas para os consumidores de energia. A Fiesp vem a público apoiar essa ideia, e mais: sugerir que ela seja adotada imediatamente. Com a realização dos leilões e a desoneração tributária em estudo pelo governo, a entidade acredita que o custo da energia será reduzido de forma considerável, contribuindo com mais um passo para a recuperação da competitividade brasileira e do dinamismo de nossa economia. “Com a energia a preço justo, obtida por meio dos leilões, e a redução do ICMS, vamos conseguir baixar a conta de luz, em benefício de todos os brasileiros”, declarou Paulo Skaf, presidente da entidade.



Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

Além da eleição vamos monitorar esse assunto que muito nos agrada, Memória curta jamás!

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Filme de Stuckert revela bastidores dos últimos momentos de Lula no poder

Ricardo Galhardo, iG São Paulo 29/03/2012 21:13 - Atualizada em 30/03/2012 13:35 | Para acessar a matéria original clique aqui


“Pela Primeira Vez”, documentário de média metragem dirigido por Ricardo Stuckert e produzido pela Casablanca Filmes que mostra em 3D a posse da presidenta Dilma Rousseff, estreia dia 25 de abril no Museu da República, em Brasília.
Embora mostre a posse de Dilma, o filme bem que poderia se chamar “Nunca na História Deste País”, jargão que marcou os oito anos do governo Luiz Inácio Lula da Silva.
O título remete ao objeto do filme, quando pela primeira vez uma mulher chegou ao mais alto posto da hierarquia política brasileira. Mas o documentário não é sobre Dilma. Lula, que deveria ficar no papel de coadjuvante, exerce um protagonismo natural.


É mais um capítulo da novela cinematográfica de Lula, talvez o único político brasileiro cuja trajetória foi acompanhada de perto pelo cinema, que inclui “Linha de Montagem” (Renato Tapajós, 1982), “Peões” (Eduardo Coutinho, 2004), “Entreatos” (2004) e “Atos” (2006, ambos de João Moreira Salles), narrando desde a origem sindical até a vitoriosa campanha presidencial de 2002.
“Pela Primeira Vez” traz imagens inéditas dos bastidores da posse de Dilma, como a visita de Lula ao ex-vice-presidente José Alencar, nos hospital Sírio-Libanês, no dia da posse, ou a intimidade do ex-presidente e a ex-primeira-dama Marisa Letícia, minutos antes da transmissão da faixa.
Entre as curiosidades está a declaração da mulher de Alencar, Mariza, dizendo que precisou ameaçar terminar com um casamento de 58 anos para convencer o vice-presidente, convalescente de um câncer abdominal, a não ir à posse.
O grande mérito do filme, no entanto, está no uso da tecnologia 3D, que coloca o espectador comum dentro do ambiente dos poderosos como, por exemplo, a diplomação de Dilma no Tribunal Superior Eleitoral, ou em cima do palanque montado na porta do prédio de Lula, em São Bernardo do Campo. As imagens da arquitetura braziliense em 3-D também impressionam.
Os textos se resumem à conversa entre Lula e Alencar no hospital e aos discursos do ex-presidente, em São Bernardo, e de Dilma, em Brasília, editados de forma a se complementarem como num jogral.
“É o primeiro documentário brasileiro em 3D”, disse Arlette Gaudin Siaretta, da Casablanca. “Mas não usamos a tecnologia gratuitamente. É uma liguagem que aproxima o cidadão comum do centro do poder”, completou ela.
Fotógrafo oficial da presidência nos oito anos de Lula, Stuckert teve acesso privilegiado à cerimônia de posse. Segundo ele, a ideia de fazer um documentário surgiu poucos dias antes da posse. “A primeira conversa foi no dia 2 de dezembro. No dia 15, dois dias antes da diplomação, tínhamos 10 câmeras 3D da Casablanca em Brasília”, disse ele.
Seguindo Arlette, o custo do trabalho externo ficou entre R$ 900 mil e R$ 1 milhão, integralmente bancados pela Casablanca, sem patrocínios ou leis de incentivo. “Nosso objetivo não foi fazer um filme comercial, nem político. É um filme histórico”, disse ela.
Depois da estreia em Brasília, “Pela Primeira Vez” tem exibições marcadas em outras sete capitais brasileiras. 

Postagens populares

Visitantes

Google+ Followers

Translate